top of page
  • Foto do escritorcontato418428

Vacinação para pessoas imunossuprimidas: tudo que você precisa saber


A vacinação em pessoas imunossuprimidas é um grande desafio, mas é importante e necessária. Você sabia que nem todas as vacinas podem ser indicadas para esse grupo? Isso depende da formulação de cada vacina.


Além disso, com a menor resposta do sistema imune, algumas vacinas podem ter a sua eficiência comprometida. Por isso, somente o médico poderá indicar qual o momento mais adequado para a imunização.


Confira abaixo quais vacinas são indicadas, quais são contraindicadas e como você também pode fazer parte da proteção desse grupo.


A recomendação da vacina depende da sua composição


Existem dois tipos principais de vacinas: as inativadas e as atenuadas. Apesar de ambas terem como objetivo final, o estímulo para que o sistema imune crie anticorpos, suas tecnologias são diferentes.


  • Vacinas inativadas: em sua composição, utiliza microrganismos mortos. É o caso das vacinas para hepatites A e B, HPV, pneumocócicas, entre outras.


  • Vacinas atenuadas: em sua composição, utiliza microrganismos vivos, mas enfraquecidos. É o caso das vacinas contra rubéola, sarampo, febre-amarela, entre outras.


Para imunocomprometidos, as vacinas inativadas são as mais recomendadas, uma vez que as vacinas atenuadas podem gerar efeitos colaterais significativos para esse grupo.



Vacinação em pacientes que convivem com o vírus HIV


Para esse grupo, a vacinação é especialmente importante. Ela ajuda a prevenir infecções oportunistas e garantir qualidade de vida ao paciente.


Para adultos e idosos soropositivos para o HIV, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomenda as seguintes vacinas:

  • Influenza

  • Pneumocócicas conjugada (VPC13) e polissacarídica (VPP23);

  • Haemophilus influenzae b;

  • Hepatites A e B;

  • HPV;

  • Meningocócica B e conjugadas (MenC ou MenACWY);

  • Herpes zóster inativada (VZR).


A SBIm contraindica, no caso de imunossupressão grave, vacinas atenuadas como:

  • BCG;

  • Rotavírus;

  • Pólio oral (VOP);

  • Febre-amarela;

  • SCR (sarampo, caxumba e rubéola);

  • Varicela;

  • SCR-V (sarampo, caxumba, rubéola e varicela);

  • Dengue.


A vacinação daqueles que convivem diariamente ajuda na proteção


Para aqueles que convivem diretamente com pacientes imunossuprimidos, a imunização é essencial. Como esses pacientes não podem se vacinar para algumas infecções, cabe à rede de contato protegê-los.


A vacinação do entorno, reduz a chance de transmissão de doenças para as quais os pacientes imunocomprometidos não tem proteção.


Como o vírus HIV impacta diretamente as células de defesa do organismo, esses indivíduos são mais vulneráveis à infecção e, portanto, precisam se imunizar ou serem protegidos pela rede de contato. Conte com o atendimento especializado, qualificado e humanizado da Vacinar, venha se proteger. Entre em contato com a nossa equipe.

💗 Vacinar Faz Bem


Fontes:


Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).


Ljungman P. Vaccination of immunocompromised patients. Clin Microbiol Infect. 2012 Oct;18 Suppl 5:93-9.


144 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page