top of page
  • Foto do escritorcontato418428

Vacinação contra a meningite: tudo o que você precisa saber 



A meningite é uma infecção que atinge as meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A vacina meningite é uma das principais formas de reforçar a sua prevenção. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que a forma mais grave da doença, provocada por bactérias, é responsável por cerca de 250 mil mortes no mundo todos os anos.  


A meningite é uma doença que afeta as meninges, membranas que envolvem o cérebro, e pode ser provocada por vírus, bactérias ou fungos. O mais comum, no entanto, é que os casos mais graves e com potencial de deixar sequelas sejam causados por alguns tipos de bactérias.  


As formas mais graves da doença são provocadas pela bactéria Neisseria meningitidis, também conhecida como meningococo. Nestes casos, se não for tratada rapidamente, a doença pode levar à morte em menos de 24 horas ou ainda causar sequelas graves, como amputação de membros.  


O meningococo possui 12 sorogrupos: A, B, C, E, H, I, K, L, W, X, Y e Z. No entanto, a grande maioria das infecções é causada pelos sorogrupos A, B, C, W, X e Y – no Brasil, por exemplo, o sorogrupo mais prevalente é o C.  


Também pode ser causada por outras bactérias, como a S. pneumoniae (também chamada de pneumococo), o Haemophilus influenzae tipo b (também responsável por casos de pneumonia) e o Mycobacterium tuberculosis (bactéria que provoca a tuberculose). 

Com tantos agentes causadores da meningite, a vacinação, evidentemente, é fundamental. 


Os riscos da meningite.  


A meningite provocada por vírus tende a ser mais branda e ter uma evolução benigna na grande parte dos casos. Ao contrário, a meningite bacteriana é considerada uma doença bastante grave, especialmente em bebês e crianças menores de 5 anos.  

Se o paciente não receber assistência médica adequada, a doença tem potencial para levar à morte em poucas horas. Além disso, quanto mais grave for a infecção, maior o risco de desenvolver complicações igualmente sérias, que incluem:  


  • Perda de visão; 

  • Perda de audição;

  • Problemas de memória e concentração; 

  • Comprometimento da coordenação motora, do equilíbrio, da fala e do aprendizado; 

  • Epilepsia; 

  • Paralisia cerebral; 

  • Amputação de membros e cartilagens (orelhas, nariz) por necrose.   


Idade para vacinação

O esquema de imunização que engloba as vacinas contra a meningite inclui as que previnem a infecção causada pelo meningococo e ainda outros imunizantes que evitam a doença provocada por outros tipos de bactérias.  

Por isso, a primeira vacina meningite que pode e deve ser aplicada é a BCG, no recém-nascido. Já as vacinas meningocócicas costumam ser administradas a partir dos 3 meses de idade, de acordo com o calendário vacinal nacional.  

Idosos podem tomar a vacina meningocócica, nesta faixa etária, em geral, é recomendada a vacina ACWY. Pessoas que retiram o pâncreas podem tomar também a meningocócica B (acima de 50 anos, por prescrição médica).


Vacinas contra meningite disponíveis  

O esquema de vacinação inclui tanto imunizantes feitos especificamente contra as bactérias do grupo meningococo, como contra outras bactérias que também podem provocar a meningite. 


São elas:  


BCG  

A vacina BCG serve para prevenir a infecção provocada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, causadora da tuberculose. Ela atua na prevenção das formas graves de tuberculose, como a meningite tuberculosa e também a tuberculose disseminada.  

A vacina BCG necessita de apenas uma dose e é indicada para crianças a partir do nascimento até antes de completar 5 anos de idade.   

No entanto, ela é contraindicada nos seguintes casos:  

  • Indivíduos imunossuprimidos; 

  • Recém-nascidos de mães que usaram medicamentos durante a gestação que podem causar imunossupressão no bebê nos primeiros meses de vida; 

  • Bebês com menos de 2 kg.


Vacina conjugada Haemophilus influenzae tipo b 


A vacina conjugada protege contra doenças causadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b (como meningite, pneumonia, sepse e artrite). 

  • No SUS, ela faz parte da vacina Pentavalente e é administrada aos 2, 4 e 6 meses de idade; 

  • No sistema privado, ela faz parte das vacinas Pentavalente e Hexavalente e é administrada aos 2, 4 e 6 meses de idade, com reforço aos 15 meses.    


Pneumocócica 10-valente (Conjugada)  


A vacina Pneumocócica 10-valente (Conjugada) previne contra doenças como pneumonia, otite e meningite provocadas por 10 sorotipos da bactéria S. pneumoniae, também conhecida como pneumococo. 

A vacina Pneumocócica 10-valente (Conjugada) é administrada no SUS e recomendada para: 

  • Crianças a partir de 2 meses e menores de 5 anos. 


Pneumocócica 23-valente (Polissacarídica)  


A vacina Pneumocócica 23-valente (Polissacarídica) previne doenças graves (incluindo aí pneumonia e meningite) provocadas por 23 sorotipos da bactéria S. pneumoniae, também conhecida como pneumococo. 

A vacina Pneumocócica 23-valente (Polissacarídica) tem um esquema vacinal específico e não é recomendada para crianças, adolescentes e adultos saudáveis. O público que pode se beneficiar dessa vacina inclui:  

  • Crianças acima de 2 anos, adolescentes e adultos que tenham algum problema de saúde que aumenta o risco para a infecção (diabetes, doenças cardíacas e respiratórias graves e imunossuprimidos); 

  • Pessoas a partir de 60 anos como esquema vacinal de rotina. 


Pneumocócica 13-valente (Conjugada)  


A vacina Pneumocócica 13-valente (Conjugada) previne o surgimento de 90% das doenças invasivas graves (incluindo aí pneumonia e meningite) provocadas por 13 sorotipos da bactéria S. pneumoniae, também conhecida como pneumococo. 

A vacina Pneumocócica 13-valente (Conjugada) é indicada para o esquema vacinal de rotina de crianças a partir dos 2 meses de idade e menores de 6 anos.  

Ela também é utilizada para crianças, adolescentes e adultos que tenham algum problema de saúde que aumenta o risco para a infecção (diabetes, doenças cardíacas e respiratórias graves e imunossuprimidos). 


Pneumocócica 15-valente (Conjugada)  


A vacina pneumocócica conjugada 15-valente (VPC15) acrescenta mais dois sorotipos aos 13 já existentes na VPC13.

Hoje, no Brasil, de acordo com nossos dados de vigilância de sorotipos pneumocócicos circulantes, a inclusão destes sorotipos aumenta a prevenção em cerca de 1%, comparando com a vacina VPC13.


Meningocócica C (Conjugada)  


A vacina Meningocócica C (Conjugada) protege contra a doença meningocócica provocada pela bactéria Neisseria meningitidis (também conhecida como meningococo) do sorotipo C. É oferecida exclusivamente na rede pública de saúde.  

No SUS, a imunização com a vacina Meningocócica C (Conjugada) é feita aos 3 e 5 meses de idade, com uma dose de reforço aos 12 meses. Adolescentes e adultos que não tenham recebido as doses podem tomar a qualquer momento. 


Meningocócica ACWY (Conjugada)  


A vacina Meningocócica ACWY (Conjugada) protege contra a doença meningocócica provocada pela bactéria Neisseria meningitidis (também conhecida como meningococo) dos sorogrupos A, C, W e Y.  

A vacina Meningocócica ACWY (Conjugada) é geralmente administrada a partir dos 3 meses de idade, com uma segunda dose aos 5 meses. O reforço deve ser feito aos 12 meses de idade, 5 e 11 anos.  

No SUS, a vacina está disponível no esquema de uma dose em adolescentes entre 11 e 12 anos como reforço do esquema vacinal da vacina Meningocócica C.  


Meningocócica B  


A vacina Meningocócica B protege contra a doença meningocócica provocada pela bactéria Neisseria meningitidis (meningococo) do sorogrupo B.  

É uma vacina oferecida apenas pela rede privada de saúde. O esquema de vacinação pode variar de acordo com a idade de início da imunização:  

  • Primeira dose aos 3 meses: segunda dose aos 5 meses e um reforço entre 12 e 15 meses; 

  • Primeira dose entre 6 e 11 meses: três doses, as duas primeiras com intervalo de 2 meses e a última com 15 meses; 

  • Primeira dose com 12 meses: duas doses com intervalo de 2 meses e um reforço após um ano da última dose; 

  • Primeira dose com mais de dois anos (incluindo adultos e idosos): duas doses com intervalo de 1 mês. 


Vacinas da meningite na rede pública e particular   


 A rede pública de saúde (SUS) oferece as seguintes vacinas da meningite: 

  • Vacina meningocócica conjugada C, rotineiramente administrada a crianças aos 3 e 5 meses, com reforço aos 12 meses de idade; 

  • Vacina meningocócica (conjugada) ACWY, administrada a adolescentes de 11 e 12 anos; 

  • Vacina Pentavalente (que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e a bactéria Haemophilus influenzae tipo b); 

  • Vacina pneumocócica conjugada 10-valente; 

  • Vacina BCG. 


Já na rede privada de saúde, é possível encontrar também:  

  • Vacina meningocócica B; 

  • Vacina pneumocócica conjugada 13-valente 

  • Vacina pneumocócica conjugada 15 -valente 

  • Vacina Hexavalente (que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, a bactéria Haemophilus influenzae tipo b e poliomielite).


Agora que você já conhece todos os imunizantes disponíveis para a proteção contra a meningite, entre em contato com a nossa equipe para fazer uma avaliação gratuita da caderneta de vacinação da sua família e agendar a vacinação do seu grupo!



Fontes:

Ministério da Saúde; SBIM; Artigo "Vacina meningite: tudo o que você precisa saber", por Dra. Maria Isabel de Moraes Pinto, infectopediatra. Disponível em: https://nav.dasa.com.br/blog/vacina-meningite.

14 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page