top of page
  • Foto do escritorcontato418428

O perigo por trás da HIB



Ao ver o nome Haemophilus influenzae tipo B (Hib), a gente fica até meio confuso, não é verdade? Apesar de incomum ouvirmos falar dela, essa bactéria de nome estranho causa uma série de doenças perigosas.


Ela vive na garganta das pessoas e pode ser transmitida de forma muito semelhante à gripe: por meio de gotículas contaminadas expelidas pela fala, tosse, espirros e secreções. Os mais atingidos por ela são as crianças de até 5 anos de idade.


A bactéria pode causar infecções no nariz, na garganta e pode chegar à pele, ouvidos, articulações, pulmões, coração, medula espinhal e cérebro. Entre as complicações que podem aparecer depois que a Hib entra em contato com o sangue, estão pneumonia, otite, artrite, inflamação do pericárdio e epiglote, meningite (que é a inflamação da meninge, membrana que envolve o cérebro), déficit auditivo grave e lesões cerebrais permanentes.


E agora, como evitar?


Depois do começo da vacinação, a quantidade de pessoas que tiveram meningite por Hib despencou, como mostra a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).


Ou seja: para evitar todos os incômodos e problemas sérios que a Hib pode trazer, a melhor forma é a vacinação. A vacina isolada é inativada, então não tem como causar a doença. A indicação é para crianças a partir de 2 meses até 5 anos.


Para os maiorzinhos, adolescentes e adultos, ela é indicada caso a pessoa tenha condições que aumentem o risco por doenças por Hib: ausência ou disfunção do baço; antes ou após transplante de órgão ou medula óssea, após quimioterapia, entre outras. Na dúvida, o melhor caminho é sempre consultar o médico.


A vacina é recomendada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) e disponibilizada em três doses, aos 2, 4 e 6 meses de vida do bebê, como integrante da vacina pentavalente, que também protege contra tétano, difteria, coqueluche e hepatite B.


A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a de Imunizações recomendam uma quarta dose, entre 12 e 18 meses de vida da criança, principalmente para as vacinadas com a DTPa (contra tétano, difteria e coqueluche).


Para as crianças com mais de 5 anos, adolescentes e adultos não vacinados e com doenças que aumentem o risco da doença, são indicadas duas doses com intervalo de dois meses.


Aqui na Vacinar, além da pentavalente e da vacina contra Hib isolada, temos também a opção de pentavalente acelular, que inclui em sua formulação a proteção contra a poliomielite e a hexavalente, além da contra Hib em apresentação isolada.


Ficou com uma dúvida e quer saber qual a melhor opção para proteger sua família? É só falar com a gente, estamos à disposição para receber vocês!


126 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page