top of page
  • Foto do escritorcontato418428

GRIPEZINHA? Nada disso! Influenza é coisa séria.

Um nariz escorrendo, dor de cabeça e no corpo... Nada demais, é “só” uma gripe. Tudo bem, essa virose já é tão comum na nossa sociedade que às vezes subestimamos o poder infectivo do vírus Influenza. Segundo a Organização Pan-americana de Saúde, cerca de 15% da população mundial é infectada anualmente com esse vírus, o que pode gerar até 500 mil mortes devido à virose, principalmente em idosos e doentes crônicos. Deu pra ver que, apesar de ser uma doença viral comum e facilmente tratada com medicamentos acessíveis, não é bem assim que a banda toca na realidade. Já te explicamos o porquê. GRIPE E INFLUENZA, O QUE É ISSO? Primeiramente, tenha em mente que o vírus Influenza é classificado em tipos A e B, sendo que cada uma possui subtipos. Mais do que isso, por se tratar de um vírus, esses subtipos sofrem mutações constantes que podem fazer com que uma gripe seja mais ou menos intensa. Também é por causa dessas mutações que temos que tomar as vacinas todos os anos. Mas esse vírus não é um caso isolado que ficou no passado. Todos os anos, os pesquisadores da OMS trabalham intensamente para rastrear as cepas virais que mais circulam no mundo. A partir disso, recomenda-se quais delas devem ser incluídas na vacina contra gripe para proteger as pessoas da gripe sazonal. No caso em que uma nova cepa da gripe desenvolva um potencial pandêmico, a OMS estabeleceu uma parceria única com todos os principais participantes para garantir acesso efetivo e equitativo a diagnósticos, vacinas e antivirais (tratamentos), especialmente em países em desenvolvimento. TUDO BEM, MAS PORQUE A GRIPE MATA?  Além do que comentamos anteriormente sobre as mutações que acontecem com o vírus e o fato de que nosso corpo ainda não possui anticorpos necessários para combater a doença, o vírus influenza tem consequências mais graves para as pessoas com doenças crônicas: como a asma, diabetes, doenças hepáticas, nos rins, obstrução pulmonar, HIV e anemias genéticas graves.  Nesses casos, com o sistema imunológico em déficit, uma simples gripe pode evoluir para quadros graves de sepse, ataque cardíaco e também pneumonia. Essa última é a causa mais comum de mortes relacionadas com a gripe. Trata-se de uma infeção que faz com que os pequenos sacos de ar dos pulmões (alvéolos) se encham com fluido ou pus.  E COMO POSSO ME PREVENIR?  De longe, a MELHOR PREVENÇÃO É A VACINA, recomendada a todos a partir dos 6 meses de vida e com doses anuais. A periodicidade é muito importante já que, como comentamos anteriormente, com o passar do tempo o vírus sofre mutações. Portanto as vacinas são produzidas a cada ano pensando nessas alterações. A vacina quadrivalente protege contra duas cepas da Influenza A e duas da B. - Ainda tem dúvidas sobre gripe ou sua vacina? Conte com a gente para responde-las, entre em contato! - VACINAR | Prevenção é proteção. - Fonte: Sociedade Brasileira de Imunizações, SBIm, “Vacina gripe (influenza) — trivalente ou quadrivalente”. Disponível em: https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-gripe-influenza

23 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page